Estas 5 tendências dão forma à nossa indústria em 2017

Tuesday, 31 January 2017

Author: Benjamin Low

Industry News

<p>Em apenas algumas décadas, a indústria de vigilância por vídeo passou por movimentos consideráveis na tecnologia principal e negócios. Desde a dolorosa evolução das câmeras de circuito fechado analógicas tradicionais até a tecnologia digital e baseada em rede dos dias de hoje, a mudança tem sido uma constante e vai continuar a acelerar.</p>

<p>O uso de sistemas de gerenciamento de vídeo (VMS) continua na sua forte trajetória de crescimento em 2016, com a <a href="https://technology.ihs.com/api/binary/572252">IHS prevendo um aumento de 7% no mercado mundial de equipamentos de vigilância por vídeo neste ano</a>. Os novos sistemas de vídeo em rede digital (operando através de uma rede de computador usando o protocolo de Internet ou IP) dos dias de hoje agora oferecem poderosos benefícios de gerenciamento e manutenção, enquanto permitem a expansão futura e uma maior flexibilidade.</p>

<p>Aqui estão cinco tendências principais que continuarão a moldar a indústria da vigilância por vídeo em 2017:</p>

<p><b> </b></p>

<p><b>Importância crescente da segurança cibernética</b></p>

<p>A segurança cibernética se tornou essencial para a vida cotidiana, transformando-se em um importante segmento de mercado. À medida em que mais e mais casos de alto perfil são revelados, preocupações quanto à capacidade para proteger redes e dados são intensificadas. O resultado é que os consumidores estão cada vez mais preocupados com a proteção de sua infraestrutura de dados críticos, causando uma mudança no saldo de gastos - do domínio físico até as iniciativas de segurança cibernética para proteger os dados das organizações.</p>

<p>Em 2017 esta tendência irá aumentar conforme as empresas correm para proteger sua privacidade de dados e evitar violações de dados não autorizadas. Especialmente conforme IoT ganha tração e mais dispositivos são usados em domínios domésticos e públicos, a segurança cibernética se tornará cada vez mais importante já que esses dispositivos não protegidos deixam potenciais lacunas de onde criminosos podem extrair dados sensíveis.</p>

<p><b> </b></p>

<p><b>Um futuro digital inteligente e seguro</b></p>

<p>Na sequência do aumento das ameaças de segurança no ano passado, a segurança pública pulou para o topo da agenda. Com os avanços tecnológicos vistos nas áreas de vigilância por vídeo com análise de vídeo, assim como em centros de comando de segurança e controle com maior integração entre subsistemas, o vídeo permitirá que as cidades melhorarem seus tempos de resposta a incidentes de todos os tipos, e servirá como uma ferramenta para ajudar os cidadãos.</p>

<p>Também temos constatado o aumento da aceitação de vigilância na opinião pública geral e esperamos que isso continue, conforme ela é vista menos como uma medida de controle governamental e mais como um instrumento de segurança. Numa nota semelhante, a vigilância móvel também verá um forte crescimento em 2017. Desde wearables como câmeras usadas junto ao corpo até drones, a vigilância móvel tem um potencial de crescimento em muitos mercados comerciais, como agentes de reapropriação, seguranças de clubes, eletricistas e encanadores.</p>

<p>Na Ásia, muitas cidades já estão adotando o conceito de Smart City, onde a tecnologia avançada é integrada na administração da cidade para aumentar a eficiência, aumentando o uso de vídeo. <a href="https://www.techinasia.com/asia-leading-smart-city-limitations">A cidade de Yinchuan na China é um grande exemplo de uma das mais avançadas Smart Cities na Ásia</a>, com tudo de ônibus até cestos de lixo integrados em um sistema unificado. Conforme Singapura vai em direção ao seu objetivo de se tornar em uma Smart Nation, a vigilância por vídeo e análises podem ser integrados na nossa Smart City para fornecer uma solução mais holística.</p>

<p><b> </b></p>

<p><b>IoT - novas oportunidades de mercado para VMS</b></p>

<p>O aumento de IoT abriu um caminho em potencial para a aplicação de VMS e tecnologia de vídeo. Na região Ásia Pacífico, <a href="http://www.enterpriseinnovation.net/article/driving-iot-growth-asia-1907449576">espera-se que o número de dispositivos usados cresça de 3,1 bilhões para 8,6 bilhões até 2020, criando uma oportunidade de mercado de US$583 bilhões</a></p>

<p>Isso apresenta uma empolgante oportunidade de aplicar o VMS além da segurança. O vídeo pode ser integrado com sistemas IoT para fornecer informações para necessidades empresariais ou operacionais, por exemplo. Além disso, análises de vídeo como o mapeamento de calor e contagem de pessoas podem permitir que mais organizações coletem inteligência corporativa, o que reforça ainda mais a eficácia, proposição de valor e rentabilidade do sistema de vigilância por vídeo.</p>

<p> </p>

<p><b>Aumento da concorrência e consolidação</b></p>

<p>O mercado de CFTV e de Vigilância viu uma forte tendência de consolidação em 2016, e não mostra sinais de diminuição. Conduzido por várias fusões e aquisições, assim como grandes participantes no mercado eliminando empresas menores, a participação de mercado dos 15 maiores participantes aumentou 11% de 2011 a 2015, e espera-se que se torne significativamente maior em 2020.</p>

<p>O resultado é que estas condições de mercado atuais tornaram muito difícil para participantes pequenos suportarem as pressões de preços e aumentarem suas receitas, enquanto empresas maiores vêm ganhando posições de mercado significativamente melhores. Portanto fica claro que os fabricantes ainda de pé no final serão grandes vencedores, com um mercado muito menos fragmentado.</p>

<p> </p>

<p><b>Mais escolha da integração de soluções</b></p>

<p><a href="https://technology.ihs.com/583334/physical-security-equipment-services-report-2016">A integração de soluções viu grandes progressos em 2016</a><a title="" href="#_ftn6">[</a>, o que permitiu às empresas de VMS criarem ecossistemas mais propícios para a implantação das melhores e mais adequadas tecnologias de vídeo para cada consumidor individual. Isso é atribuído ao desenvolvimento da norma ONVIF em 2016, projetada para facilitar a vida de quem usa diferentes marcas de produto, resultando em uma maior liberdade de escolha para os usuários finais.</p>

<p>Isso é particularmente importante com o crescimento da Smart City e da vigilância. Sem integração, os usuários finais poderiam ficar “presos” usando soluções de um único fabricante, ou adotar uma abordagem "construir uma vez e manter para sempre". Consequentemente, a integração permite que os usuários finais escolham de uma variedade sempre crescente de hardware e software disponíveis para garantir que suas necessidades sejam melhor atendidas, mantendo a compatibilidade com o design de rede.</p>

<p><i>Benjamin Low, Vice-Presidente, APAC, Milestone Systems</i></p>